ETF: diversificação rápida e simples na bolsa de valores

ETF’s: Diversificação rápida e simples na bolsa de valores

GERAL
04/06/20
GERAL
04/06/20

Criado em 1993 nos Estados Unidos e lançado no mercado brasileiro em 2004, o ETF (Exchange Traded Fund) é uma modalidade de investimento que busca replicar um indicador financeiro. Na prática, esses fundos montam uma “cesta de ativos” com o objetivo de replicar um índice do mercado financeiro.

O investimento em ETF tem ganhado cada vez mais visibilidade com a entrada de novos investidores na bolsa. Isso tem acontecido pois são ativos que atendem bem àqueles que buscam formas diversificadas e de baixo custo para alocar patrimônio. Continue a leitura desse artigo e entenda por que você também deveria ter ETFs em seu portfólio!

O que é um ETF?

Exchange Traded Funds, abreviado ETF, pode ser traduzido livremente para o português como “Fundos Negociados em Bolsa”.

Os ETFs buscam replicar um determinado indicador financeiro, formando assim uma “cesta de ativos”. Dessa maneira, esse tipo de fundo proporciona a diversificação dos ativos — justamente uma das estratégias mais importantes para proteger seu patrimônio.

Além disso, ao mesmo tempo que oferecem essa proteção, os ETFs trazem uma maior consistência na rentabilidade do investimento. Entretanto, não se esqueça: rentabilidade passada não garante ganhos futuros quando se trata de renda variável.

Existem especialistas por trás da gestão de um ETF

Como o próprio nome já diz, um ETF é um fundo e — como todos os outros fundos de investimento — possui uma empresa responsável pela sua gestão. Esse fato traz consigo duas realizações importantes sobre ETFs:

Taxa de administração

Primeiro; existe uma taxa de administração que deverá ser paga anualmente à gestora do fundo. Apesar de, em sua maioria, ser uma taxa de baixo valor é importante se atentar aos seus custos.

Gestão ativa limitada

Segundo; por se tratar de um ativo que possui uma gestora por trás, você não será capaz de negociar os ativos individuais que farão parte da “cesta de ativos” escolhida pela administração do fundo. Dessa maneira, você abre mão da possibilidade de fazer uma gestão ativa da sua carteira.

Sendo assim, é importante perceber que o ETF é um fundo que possui um benchmark (indicador) como referência e suas cotas são negociadas na bolsa de valores.  Portanto, você tem autonomia para escolher aqueles que melhor atendam ao seu objetivo e montar seu portfólio. Além disso, eles apresentam uma vantagem em relação à liquidez: é possível vender o ETF e resgatar seu dinheiro em D+3.

ETFs pagam dividendos?

Como dito anteriormente, os ETFs são fundos de investimento negociados em bolsa. Desta maneira, é possível que o fundo possua ações de empresas que pagam dividendos.  Apesar disso, dificilmente você receberá pagamentos de dividendos como cotista de um ETF. Isso porque os dividendos recebidos pelo fundo normalmente são reinvestidos na compra de mais ações.

Consequentemente, se você investiu em um ETF que possui em sua composição ações que pagam dividendos, existe a possibilidade de que você não receba esse valor. A quantia é repassada à administração do fundo que compra mais ações com o objetivo de aumentar a valorização do fundo.

Quais são os custos para investir em ETFs?

Um dos principais aspectos na hora de selecionar um investimento é entender quais são os custos existentes na operação. Com os ETFs não poderia ser diferente, portanto você deve se atentar aos seguintes custos:

Corretagem

A taxa de corretagem é cobrada quando você efetua transações de compra ou venda de cotas dos ETFs, similar ao processo de compra de ações. O custo dessa taxa varia entre as corretoras, podendo ser uma taxa fixa ou uma tabela regressiva (Quanto maior o número de transações você executa, menor será o valor da sua corretagem).

Em nosso help center, disponibilizamos um artigo com os custos operacionais das corretoras integradas à SmarttInvest.

Custódia

Ao comprar um ativo, ele fica “guardado” com a corretora. A taxa de custódia se refere justamente a esse serviço de armazenamento dos ativos de renda variável. Sendo assim, ela será cobrada mensalmente, apenas se o investidor possuir esses ativos no mês em questão.

O valor de custódia cobrado pelas corretoras possui grande variação: enquanto algumas corretoras não cobram o valor, outras cobram se um determinado gasto em taxas de corretagem não for atingido no mês ou cobram uma taxa fixa mensal, independente da movimentação do cliente.

Emolumentos

Os emolumentos são taxas obrigatórias que qualquer investidor paga à bolsa de valores quando são efetuadas transações de compra ou venda. Existe uma variedade de emolumentos, que podem ser entendidos mais a fundo no site da B3.

Taxa de Administração

Assim como em outros fundos de investimento, existe uma equipe administradora por trás de um ETF. Isso significa que existe um custo relacionado ao trabalho de gestão do fundo, que é cobrado anualmente.

É importante estar atento ao valor da taxa de administração cobrada pelos fundos, visto que uma taxa alta pode interferir na sua performance.

A taxa de administração varia entre diferentes administradoras de fundo e do indicador que o ETF busca simular. Além disso, ela é cobrada de forma anual e seu percentual pode variar entre 0,20% a 0,80% ao ano.

 

Imposto de Renda

Quando um ETF de renda variável é vendido com lucro, o investidor precisa gerar o DARF para recolhimento de imposto pela Receita Federal. 

No caso dos ETFs de renda fixa, por outro lado, o imposto é recolhido na fonte.

Olhando para o IRPF, a declaração anual de Imposto de Renda da Pessoa Física, é necessário adicionar os lucros e prejuízos das vendas de ETF ao longo dos meses.

>> Entenda tudo sobre Imposto de Renda para ETF.

 

 

ETFs disponíveis no mercado

Existem no mercado ETFs que replicam índices de renda fixa, como o CDI, e ETFs que replicam índices de renda variável, como o  Ibovespa, iShares S&P 500, BM&FBOVESPA Small Cap, entre outros.

Na plataforma da SmarttInvest, é possível comprar e vender ETfs, assim como seguir carteiras recomendadas compostas apenas por esse tipo de ativo. Você pode encontrá-las na plataforma na categoria Investimento Geral.

Atualmente, estão disponíveis para negociação na SmarttInvest  todos os ETFs listados na B3, que você pode conferir clicando aqui. Portanto, você pode criar sua carteira personalizada composta pelos ativos desejados, nas proporções que quiser, e acompanhar a rentabilidade deles por nossos relatórios de forma gratuita.

ETF de renda variável

Como mencionado anteriormente, os ETFs de renda variável buscam replicar índices de renda variável. Sendo assim, possuem uma variedade de ativos em sua composição e acompanham a volatilidade do índice. Para te ajudar a entender melhor, vamos usar de exemplo o ETF de ticker BOVA11.

De acordo com a B3, o BOVA11 é baseado no Ibovespa — índice composto pelas ações emitidas por companhias que respondem por mais de 80% do número de negócios e do volume financeiro da Bolsa. Ele é gerido pela Blackrock e sua taxa de administração é 0,30% a.a.

Para ilustrar como é a carteira de um ETF, trouxemos uma composição do BOVA11, que replica o Ibovespa, do ano de 2019. Perceba, abaixo, que ele possui alto nível de diversificação:

Vale (VALE3)10%
Itaú Unibanco (ITUB4)10%
Bradesco (BBDC4)09%
Petrobras (PETR4)08%
Petrobras (PETR3)05%
Ambev (ABEV3)05%
B3 (B3SA3)04%
Banco do Brasil (BBAS3)04%
Itaú Holding (ITSA4)04%
Lojas Renner (LREN3)02%
Caixa (Dinheiro)40%

ETF de renda fixa

Os ETFs de renda fixa ainda são novidade para o  mercado brasileiro, porém seu funcionamento é bastante similar aos ETFs de renda variável.

No lugar de índices de ações, por exemplo, estes fundos buscam replicar indicadores financeiros do mercado de renda fixa, como títulos públicos e privados pré-fixados ou atrelados a indicadores de inflação.

Opção de investimento recente no mercado brasileiro, trouxemos abaixo dois exemplos de ETFs de renda fixa negociados na bolsa:

FIXA11: ETF estruturado pela gestora Mirae Asset, que estreou na bolsa de valores em setembro de 2018. Sua taxa de administração é 0,30% ao ano;

IMAB11: ETF estruturado pela Itaú Asset Management em parceria com o Tesouro Nacional, começou a ser negociado em maio de 2019 e é considerado o ETF oficial dos títulos públicos. Sua taxa de administração é de 0,25% ao ano.

O baixo custo com a taxa de administração dos ETFs, somado à diversidade de ativos dentro da composição dos fundos, acaba constituindo um produto ideal para iniciantes no mercado financeiro. Os de renda fixa, por sua vez, se mostram uma forma de investimento na bolsa interessante para quem não deseja ou ainda não está preparado para se expor a riscos mais elevados. Clique aqui e conheça as carteiras compostas por ETFs de renda fixa e renda variável em diferentes proporções oferecidas pela SmarttInvest.

Devo investir em ETFs?

Decisões de investimento devem ser apoiadas no maior número de informações possíveis sobre os ativos que você pensa em adquirir. A partir das informações obtidas, você pode avaliar se faz sentido tê-los em seu portfólio, considerando o seu perfil de investidor, objetivos e estratégia.

Como indicado anteriormente no texto, ETFs são uma opção de investimento que trazem diversificação e baixo custo. Essa combinação é muito interessante principalmente para investidores iniciantes que desejam operar no mercado variável, mas ainda não se sentem aptos a analisar ações através dos indicadores financeiros das empresas. 

Com ETFs na carteira, o investidor passa a se expor aos riscos do mercado de renda variável de forma moderada. A diversidade de ativos em um fundo tende a diminuir a volatilidade desse tipo de investimento, pois se um dos ativos em sua composição perder parte do valor, outro pode valorizar, o que traz mais consistência à rentabilidade.

ETFs também são uma maneira rápida e barata de investidores mais experientes buscarem rebalancear seu patrimônio enquanto adicionam uma maior diversidade empresas em seu portfólio. Sendo assim, o ponto chave é entender como esse ativo irá se encaixar em seus interesses financeiros e agregar positivamente à sua carteira, com tranquilidade e inteligência.

Como operar ETFs pela SmarttInvest?

O processo de investimento em um ETF é muito simples. Mesmo se você for um investidor iniciante.

Na SmarttInvest, oferecemos uma variedade de carteiras com diferentes pesos de ETFs de renda fixa e renda variável em sua composição, buscando uma rentabilidade otimizada de acordo com os diferentes níveis de exposição a riscos.

Para um detalhamento maior das carteiras, sua composição e performance histórica basta acessar a plataforma da SmarttInvest e escolher a categoria “Investimento Geral” em nossa vitrine interna. Basta selecionar a carteira que tem maior sintonia com seus objetivos e segui-la.

Caso queira montar sua própria carteira personalizada, você pode usar o criador de carteiras. Com ele, é possível selecionar os ETFs e pesos desejados, de forma totalmente personalizada, com total autonomia.

Com a SmarttInvest, em poucos instantes você já consegue investir em uma carteira de ETFs que melhor se enquadre ao seu perfil de investimentos. Bons negócios!

Crie sua conta gratuitamente e comece a investir em ETF na SmarttInvest

Sobre o autor

Renata Matos

Especialista em conteúdo digital e entusiasta do mercado financeiro. Movida por desenvolver novas habilidades e democratizar o ato de investir.

Faça parte

Seja um usuário Beta!

Invista na bolsa de forma realmente inteligente!

peça seu convite

A SmarttInvest é a SmarttBot para o investidor!

Um bom investimento é aquele que é feito de forma inteligente. Inscreva-se abaixo para receber gratuitamente nossos melhores conteúdos sobre o mercado financeiro: